Você tem medo da crise ou de inovar?

As empresas estão passando por um momento realmente desafiador, pois ao mesmo tempo em que se vive uma nova era de consumidores e de comportamento de consumo, o país enfrenta uma grave crise.

Nas outras crises que o país teve, existia também a inflação, desemprego, porém a porcentagem de cidadãos endividados nunca foi tão alta como nos dias de hoje. Então, temos pessoas perdendo empregos e, ainda, com dívidas. Com toda certeza isso gera um impacto no consumo.

A classe C não está com poder de compra e essa recuperação tende a ser muito lenta. Dessa forma, as empresas precisam rever suas estratégias com esse público, talvez investir em outro nicho, mas sem abandoná-los.

No entanto, o que se observa das empresas é que, independente de crise, o maior medo está na inovação, na coragem de se expor ao risco que empresas inovadoras estão dispostas. Inovar não necessariamente está relacionado à invenção da energia elétrica para a humanidade. Uma empresa pode promover simples inovações, mas que trarão grandes resultados.

Pode-se inovar no atendimento, no processo de pedidos/entregas, na imagem da empresa perante o mercado, entre tantas coisas, e o marketing está aí para isso, para ajudar as empresas nestas mudanças. Enquanto poucas empresas buscam profissionais com conhecimento e organizam “a casa”, a grande maioria fica “esperando a crise passar”.

Quando a crise passar, as empresas que não fizeram nada terão perdido muito mercado, enquanto que as que tomaram atitudes, na crise, estarão colhendo ótimos frutos.

“A crise não é entendida como oportunidade. A aversão ao risco é maior que a crise.” (Eduardo Tomiya)

Compartilhe