Empresário, você já ouviu falar no Marketing 3.0?

Há muito tempo atrás, falar do produto ou serviço era o suficiente para vendê-lo, pois o consumidor não era tão informado e não havia tanta concorrência. Está se falando, aqui, do Marketing 1.0, no qual o apelo era apenas funcional.

Com a tecnologia da informação, os consumidores passaram a ter mais informação, a concorrência aumentou, e as empresas precisaram trabalhar o marketing não apenas funcional, mas emocional também. Aqui, no Marketing 2.0, surgiram posicionamentos e conceitos mais apurados por parte das empresas.

Neste momento, devido à onda tecnológica gigantesca, está se vivenciando uma nova era:

“As pessoas se importam mais com as empresas que se importam com elas. Estamos testemunhando o surgimento do Marketing 3.0, ou a era voltada para os valores. Em vez de tratar as pessoas, simplesmente, como consumidores, os profissionais de marketing as tratam como seres humanos plenos: com mente, coração e espírito.” (Kotler)

 Entendeu? O consumidor passou a exigir mais das empresas, é preciso muita transparência e relacionamento com ele neste momento. Transparência e relacionamento, estes, impulsionados pelas redes sociais. O apelo do marketing, aqui, é funcional, emocional e espiritual.

Para tentar exemplificar um pouco: é por isso que o Itaú está “vendendo” o banco dizendo para as pessoas: “#issomudaomundo”. Ele não fala mais “abra uma conta, a tarifa custa tanto”. O Marketing 3.0 é o marketing de um para muitos, para fazer do mundo um lugar melhor. Por isso, ações sociais e ambientais ganharam ainda mais força.

Que tal continuar praticando o Marketing 2.0, mas também iniciar o processo do 3.0? O que se quer dizer com isso é que “envolver” o consumidor, “tratá-lo como ser humano”, vende mais do que qualquer outra forma.

 

Compartilhe